Estresse Parental em Famílias de Crianças com Paralisia Cerebral: Revisão Integrativa

Nathany Vieira Silva¹, Sarah Fernanda Gonçalves de Oliveira¹, Patricia Leite Alvares Silva², Gabrielly Craveiro Ramos², Talita Pereira de Maria¹, Maysa Ferreira Martins Ribeiro¹

Introdução
Dentre as condições crônicas que incidem na infância, a paralisia cerebral é a causa mais comum de deficiência, com prevalência de 2 a 3 por 1000 nascidos vivos. É um transtorno grave que causa grande impacto na vida da pessoa acometida, na dinâmica familiar, na sociedade e nas políticas públicas, por representar uma condição crônica, complexa e que gera custos elevados. A saúde física e psicológica dos pais, em especial a da mãe, principal responsável pela tarefa de cuidado, é influenciada pelo comportamento e necessidades dos filhos. O estresse vivido pelos genitores nas suas funções de pai e de mãe é denominado “estresse parental”. Fatores que modificam o estresse parental incluem: características dos pais/cuidadores; características da criança; funcionamento familiar e vínculo entre os pais e a criança; fatores sociais, como o acesso a suporte/apoio social; fatores sócio-econômicos e contexto cultural.
O objetivo deste trabalho foi selecionar, avaliar e analisar criticamente as publicações que tiveram como foco principal estudar o estresse parental vivenciado pelos pais/cuidadores de crianças com paralisia cerebral.

Metodologia
Trata-se de uma revisão integrativa, sendo esta um método de revisão de literatura, que permite a busca, seleção, avaliação crítica e a síntese das evidências científicas. Identifica lacunas na literatura e direciona o desenvolvimento de pesquisas futuras. A busca foi conduzida na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), no período de janeiro a julho de 2011 e optou-se por selecionar estudos publicados no período de 1998 a 2011. No início da busca, foram identificados 153 títulos; inicialmente a seleção foi feita pelos títulos, eliminando-se os repetidos.

Resultado
Integraram a amostra desta revisão 13 artigos, todos publicados em inglês. Pais de crianças com paralisia cerebral apresentam nível de estresse maior do que pais de crianças sem deficiência e isto afeta a saúde deles. O apoio social, a satisfação com o papel de pai/mãe, o bom funcionamento familiar, o vínculo afetivo pai/mãe-filho, o apoio do cônjuge e o sentimento de participar ativamente da vida social contribuem para reduzir os níveis de estresse.

Considerações finais
A saúde dos pais de crianças com paralisia cerebral está comprometida pelos maiores níveis de estresse. Desta forma, profissionais da saúde devem oferecer uma atenção especial a eles.

Referências bibliográficas
1. Rosenbaum, P.; Paneth; N.; Leviton, A.; Goldstein, M.; Bax, M. A report: the definition and classification of cerebral palsy. Dev Med Child Neurol, 2007; 49(109): 8-14.
2. Raina, P.; O'Donnell, M.; Rosenbaum, P.; Brehaut, J.; Walter, S.D.; Russell, D. et al. The health and well-being of caregivers of children with cerebral palsy. Pediatrics 2005;115(6):e626-36. Epub 2005/06/03.
3. Ketelaar, M.; Volman, M. J.; Gorter, J.W; Vermeer A. Stress in parents of children with cerebral palsy: what sources of stress are we talking about? Child Care Health Dev, 2008;34(6):825-9. Epub 2008/10/31.
4. Sipal, R. F.; Schuengel, C.; Voorman, J. M.; Van Eck M.; Becher, J. G. Course of behaviour problems of children with cerebral palsy: the role of parental stress and support. Child Care Health Dev,2010;36(1):74-84. Epub 2009/08/26..
¹Discentes do Curso de Fisioterapia da Puc-Goiás.
²Docentes do Curso de Fisioterapia da Puc- Goiás.

Copyright © ISMA-BR 2001
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.
ISMA-BR - International Stress Management Association no Brasil
CNPJ: 03.915.909/0001-68
Rua Padre Chagas, 185 conj. 1104
Moinhos de Vento
90570-080 Porto Alegre, RS
+55 51 3222-2441
stress@ismabrasil.com.br