Mais Verde Programa de Práticas e Ações Ambientais e Sustentáveis

Leila Silva de Camargo1, Veridiana Hahn Engel2, Raffaele Ricciardi de Mari3

Introdução
A Lydians Sistemas de Informação, situada no Tecnosinos, Polo de Informática do Vale dos Sinos na cidade de São Leopoldo do Estado do Rio Grande do Sul, está há mais de quinze anos atuando no setor de desenvolvimento de softwares para bancos e financeiras. A empresa realiza suas atividades tendo como uma das metas investir no crescimento do talento, criatividade e satisfação dos colaboradores objetivando desenvolver programas de formação e atualização dos talentos humanos. A empresa atenta ao impacto ambiental, devido o desenvolvimento de suas atividades, ainda que pequeno, identificando algumas situações de desperdício, uso inadequado dos recursos e falta de informação de seus colaboradores cria-se um cenário propício para educação ambiental corporativa.

O programa Mais Verde está sintonizado com a Política Nacional de Educação Ambiental disposto na Lei Nº 9.795 que consolida conceitos e princípios do tema em apresentação.  Deve se o registro que assuntos ambientais surgem na sociedade brasileira anteriormente a legalização oficial pelo governo federal.

Surge na empresa um programa de práticas ambientais e sustentáveis idealizado por um comitê inspirado, motivado na empresa pela possibilidade de realizar ações importantes de impacto positivo pra a empresa e ao meio ambiente. Os problemas ambientais apontados na empresa são: falta de conhecimento e informação, descartes de lixo de forma inadequada, contaminação do solo por lixo eletrônico, alto consumo de energia elétrica, utilização de copos plásticos e a emissão de CO2.

Com objetivo primordial de desenvolver práticas e ações de educação ambiental no ambiente corporativo e nas relações interpessoais dos colaboradores, o programa é estruturado em um dos objetivos fundamentais da educação ambiental: “o incentivo à participação individual e coletiva, permanente e responsável, na preservação do equilíbrio do meio ambiente, entendendo-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania”.

A empresa tem no programa uma importante oportunidade de desenvolver e praticar os conceitos de educação ambiental junto aos seus colaboradores, familiares, clientes e fornecedores. Sendo assim apresentar para a comunidade o seu comprometimento com as questões socioambientais. Diante disso as empresas têm investido e desenvolvido programas internos de conscientizar e multiplicar as ações para um desenvolvimento sustentável.

Os objetivos específicos são: desenvolver práticas e ações para diminuir o consumo de copos plásticos, diminuir o consumo de energia, separação do lixo de forma adequada e responsável   e   a compensação de CO2, conscientizar os colaboradores para atuarem dentro e fora da empresa com práticas e ações que contribuem para a preservação da natureza e os recursos naturais.

Além da introdução este trabalho está apresentado em seis etapas na sequencia, a primeira a metodologia, a contextualização do ambiente do programa, apresentação do programa mais verde, apuração dos resultados obtidos, o marco conceitual com embasamento teórico e as considerações finais.

Metodologia
A pesquisa aqui apresentada foi quantitativa, bibliográfica, exploratória buscando a identificação e familiaridade com a situação abordada no programa.

O programa tem como ação primordial a conscientização para que as demais ocorram e possam ser medidas. Partindo assim do engajamento das pessoas para as atitudes acontecerem.

A primeira etapa constituiu em reuniões para levantamento de dados bibliográfico e analise do ambiente corporativo. E ainda aplicação de questionários para apurar o conhecimento de educação ambiental dos colaboradores.

A etapa seguinte, a segunda, surge com a apresentação do programa para a empresa com todas as ações e práticas a serem realizadas de maneira livre e espontânea. A grande importância do programa é a conscientização de cada um do seu papel no meio ambiente.

Na terceira etapa consiste apresentação dos resultados e objetivos alcançados com o programa através da coleta de dados e demonstrações gráficas. A redução dos consumos de copos e energia elétrica relata a aderência ao programa.

Portanto o diferencial deste programa está na conscientização, na informação sobre dúvidas e importância das ações e práticas ambientais.

Contextualização do ambiente do programa
A empresa está em um Polo de Informática considerado em um dos melhores polos de desenvolvimento tecnológico do país.  A cidade possui coleta seletiva e usinas de reciclagem.

O cenário da realização da pesquisa aconteceu com os profissionais de informática que trabalham com desenvolvimento de software.

Os colaboradores possuem nível superior completo e incompleto com idade média de 30 anos e destes cinquenta por cento utilizam transporte publico.

Foram envolvidos todos os colaboradores da empresa a participação dos colaboradores foi livre e espontânea.

A comissão do programa é formada um coordenador, uma assistente administrativa, um colaborador do setor atendimento a cliente, um do setor de desenvolvimento de software e uma gestora de recursos humanos que estavam dispostos e motivados para desenvolver o trabalho.

Desta forma trata se de um cenário adequado para desenvolver o programa e atingir os resultados esperados.

Apresentação do Programa Mais Verde
Apresentam-se neste capítulo as situações identificadas, as ações e como ocorreu o desenvolvimento do programa no cotidiano da empresa com algumas ilustrações. O programa consolida algumas ações já existentes e traz novidades para o ambiente corporativo visando à educação ambiental dos funcionários e suas famílias. 

Surge na empresa uma comissão com objetivo de desenvolver ações e práticas de educação ambiental fundamentadas nos objetivos fundamentais segundo a Politica Nacional de Educação Ambiental: “o incentivo à participação individual e coletivo, permanente e responsável, na preservação do equilíbrio do meio ambiente, entendendo-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania”.

Os problemas identificados foram:

1.      Ausência de informação identificada pelas atitudes
2.      Alto consumo de copos plásticos
3.      Desperdício e alto consumo de energia elétrica
4.      Descartes de lixo de forma inadequada
5.      Emissão de CO2
6.      Descartes de pilhas e baterias  

Com as situações mapeadas, ocorreu a fase pré-programa mais verde que após apontamento dos problemas foram realizadas reuniões de trabalho pela comissão para explorar e aperfeiçoar a familiaridade com o tema através de estudos bibliográficos, pesquisas de sites e ações realizadas por outras empresas referencias no mercado. E ainda após exaustivamente debatido o assunto foi elaborado um questionário para levantamento de dados a respeito do conhecimento da equipe antes da implantação do programa e depois.

Este trabalho num primeiro momento fundamentou e orientou as ações a serem definidas após analise das informações coletadas. Na sequencia para avaliar o quanto o programa continua estava contribuindo.

Apresentado a proposta do programa mais verde para a Diretoria da empresa o mesmo passa a ser liberado para implantação. Sendo assim, o programa mais verde foi apresentado com as seguintes ações:

1.      Boletim informativo com o seguinte objetivo:

O projeto tem como objetivo conscientizar e auxiliar a Família Lydians em relação às boas práticas ambientais, como e o porquê reciclar o lixo. Visando com estas práticas, estender as ações de sustentabilidade ambiental aos familiares e amigos dos colaboradores para que os mesmos possam refletir a respeito da proteção do nosso meio ambiente. Desta forma, possibilitando que cada colaborador, possa fazer a sua parte contribuindo para um mundo mais sustentável.

2.      Disponibilização de canecas personalizadas para cada colaborador com o slogan do programa Lydians Mais Verde; Sou Lydians Sou Mais Verde. Informação do boletim informativo:

A ação de se adotar canecas para o uso diário, além de ser uma medida de economia é uma iniciativa de sustentabilidade, reduzindo os impactos ambientais, possibilitando uma reflexão do comportamento de consumo e formação de uma consciência crítica possibilitando a adoção de políticas ecológicas no ambiente institucional.

3.      Importância de apagar as luzes, desligar monitores quando não utilizados, utilização do máximo da luz natural foram abordadas pela comissão da seguinte maneira:

O intuito é que todos os colaboradores participem das ações e levem essa conscientização às suas famílias. Para reforçar esta ideia, foram confeccionados adesivos fixados abaixo dos interruptores dos postos de trabalho e ambientes da empresa, lembrando a importância de apagar a luzes quando não utilizadas.

4.      Utilização de lixeiras seletivas com placas identificando conforme boletim do programa:

Durante vários anos consecutivos a Lydians separa o lixo seco e orgânico. Mas após o Projeto Lydians Mais Verde optamos em adotar lixeiras seletivas especificas para papel, plástico, metal, orgânico, coletor de pilhas e outros, além de orientar a importância da coleta e da destinação adequada do lixo para o meio ambiente.

5.      Plantio de arvores foi outra ação do programa conforme apresentação do boletim informativo:

Os colaboradores da Lydians realizaram o plantio de 60 mudas de árvores nativas para compensação de emissão CO2 com base no método mundialmente conhecido como “Pegada Carbono” ou “Carbon Footprint”, que consiste em calcular o quanto de carbono (CO2) esta sendo gerado ao ano através de um questionário que abrange desde consumo de combustíveis, energia elétrica consumida até descarte de lixo.

O “Mais Verde: Programa de Práticas e Ações Ambientais e Sustentáveis” foi o primeiro programa elaborado e estruturado por uma comissão de colaboradores proporcionando um desafio e oportunidade de desenvolvimento a todos.

O engajamento e participação da equipe traduzem o envolvimento e comprometimento com a empresa e as questões socioambientais atingindo assim os resultados almejados.

O aspecto negativo do programa foi identificar que o local onde a empresa esta localizada, dentro do Polo Informática, não existe tratamento adequado ao lixo e seu recolhimento. Desta forma ficou proposto que a comissão juntamente com administração do polo tecnológico leve o questionamento para que melhorias ocorram.

E ainda para fase seguinte do programa já existem ações sendo definidas para avanço do programa e destaque.

Apuração dos Resultados
O programa trabalhou com a hipótese de que com orientação e algumas ações haverá um impacto socioambiental de relevância para a organização e para os envolvidos.

Os resultados do programa mais verde foram satisfatórios para toda a empresa e de destaque na comunidade. Sendo destaque no jornal on line (juonline.com. br) da Universidade próxima ao Polo de Informática e nas redes sócias.

Após a implantação do programa as ações foram monitoradas e coletadas semanalmente dados relacionados com a produção de lixo e mensalmente o consumo de energia e copos plásticos.

Através de planilhas foram apresentados os resultados periodicamente para a empresa com o avanço e sucesso do programa.

A implantação das canecas ajudou a reduzir o consumo dos copos descartáveis, onde antes o consumo médio era de 258 copos por mês, passo a ser de 30 copos por mês.


Tabela 01.Quantidade de copos consumidos no período de doze meses

Os membros da comissão do Projeto realizam duas vezes por semana a pesagem do lixo produzido. Hoje a média se mantém em 27 kg por mês, onde o lixo orgânico representa 72,44% da pesagem.

O plantio de 60 mudas de arvores nativas na reserva ecológica foi superior ao calculado pela fermenta “Carbon Footprint” estando assim o programa não somente compensando CO2.


Foto 01.Na manhã do último dia 26/9, a Lydians Sistemas de Informação Ltda realizou o plantio de 60 mudas de árvores nativas na Reserva Florestal Padre Balduíno Rambo, no Parque Zoológico de Sapucaia do Sul. A ação faz parte do projeto Lydians Mais Verde.

Dentre as ações o consumo de energia elétrica também fez partes do programa e os resultados foram otimizados devido ao comprometimento dos colaboradores que passaram a ter o habito de aproveitar a luz natural e a utilização dos ares condicionados de maneira mais consciente. Sendo assim conforme abaixo houve uma diminuição significativa no consumo elétrico. Nos meses de dezembro/2013 a fevereiro de 2014 houve um aumento devido a estação do verão e as temperaturas no Rio Grande do Sul a ficaram na media de 40 graus diários.


Tabela 02. Consumo de energia elétrica no período de doze meses.

Os resultados quantificados e o envolvimento de todos demonstram que a empresa esta no caminho de um desenvolvimento sustentável e responsável.

Marco Conceitual
Os problemas ambientais presentes na sociedade abrangem todos os cidadãos independente da classe socioeconômico tendo que ser observado pelo poder publico assim também pelas entidades privadas a busca pela educação ambiental de todos. Neste norte diz Daniel Luzzi:

A educação ambiental marca uma nova função social da educação, não constitui apenas uma dimensão, nem um eixo transversal, mas é responsável pela transformação da educação como um todo, em busca de uma sociedade sustentável.

O SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, aponta o compromisso da empresas com a educação ambiental: “as empresas têm um papel fundamental no processo de educação ambiental, tanto de seus colaboradores quanto da sociedade como um todo”.

Nos tempos atuais as empresas estão preocupadas com o impacto ambiental ao realizar suas atividades e a conscientização de seus colaboradores. Neste sentido afirma TACHIZAWA, ANDRADE:

A expansão da consciência coletiva com relação ao meio                   ambiente a complexidade das atuais demandas ambientais que a sociedade repassa às organizações induzem um novo posicionamento por parte das organizações diante de tais questões.

A competividade entre as empresas apresenta como diferencial entre elas as que estão preocupadas e atentas à educação ambiental ressalta TACHIZAWA, ANDRADE: “a responsabilidade socioambiental, enfim, torna-se importante instrumento gerencial para capacitação e criação de condições de competividade para as organizações, qualquer que seja seu segmento econômico”.

O SEBRAE,Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas,em sua cartilha atenta para como acontece à gestão sustentável nas empresas:

O que tem sido observado é que as empresas que cuidam de seus passivos ambientais e têm prá­ticas de gestão sustentável têm seus custos reduzi­dos porque:  }
• consomem menos água, pelo uso racional;
• consomem menos energia, pela redução do des­perdício;
• utilizam menos matéria-prima, pela racionaliza­ção do seu uso;
• geram menos sobras e resíduos, pela adequação do uso de insumos;
• reutilizam, reciclam ou vendem resíduos, quando possível;
• gastam menos com controle de poluição.

Ainda neste sentido a diretora de sustentabilidade da ABRH-Nacional, Françoise Trapenard, afirma “a sustentabilidade está ocupando um papel cada vez mais central nas estratégias das empresas. Os clientes estão exigindo. E quando isso vira um atributo de valor para o cliente, fica muito difícil competir sem incorporá-la na forma de fazer negócio”.

Considerações Finais
O posicionamento da Diretoria da empresa sempre preocupada com questões socioambientais, comprometida com o seu papel na sociedade e o investimento contribuíram o sucesso e credibilidade do Mais Verde. Neste sentido em um ambiente propício e com apoio facilitou a implantação do programa e principalmente para o sucesso.

A gestão do programa realizada pela comissão do Mais Verde aproximou e facilitou a comunicação com os demais da equipe Lydians trazendo assim o maior envolvimento.

Ações e práticas adotadas na empresa atingiram as diminuições propostas pelo programa.  O reconhecimento da comunidade também fez parte dos resultados obtidos.

Considerando o proveito do mais verde na próxima fase do programa consistirá em transmitir e sugerir aos nossos fornecedores e clientes também contribuirá para o desenvolvimento sócio ambiental de toda a nossa cadeia produtiva.

Referências bibliográficas
Brasil. Política de Educação Ambiental.Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2014.
Casagrande, J.; Fassi, E. Meio Ambiente Sustentável. Brasília: Lt, 2012
Comercial Termoplástico. Disponível em: <http://comercialtermoplastico.com.br/ESW/Files/simbolo_da_reciclagem.pdf> Acesso em: 17 de março de 2013.
Ecycle. Disponível em: <http://www.ecycle.com.br> Acesso em: 17 de março de 2013.
Ethos, Instituto. Empresas e Responsabilidade Social.Disponível em: <www3.ethos.org.br> Acesso em: 28 de março de 2013.
Infoescola. Disponível em: <http://www.infoescola.com/ecologia/residuos-solidos> Acesso em: 17 de março de 2013.
Juonline. Consciência ambiental.Disponível em: http://www.juonline.com.br/index.php/universidade/04.10.2013/consciencia-ambiental> Acesso em: 28 de março de 2013.
MEC. Educação ambiental. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoambiental/pronea3.pdf> Acesso em 28 de março de 2014.
MMA. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/informma/item/8521-como-e-porqu%C3%AA-separar-o-lixo>Acesso em: 17 de março de 2013.
Philip, Jr. A.; Pelicioni, M. C. F. Educação Ambiental e Sustentabilidade. Barueri, SP: Manole Ltda.
Revista Melhor Gestão de Pessoas.  Ano 21. Nº 314. Segmento, janeiro de 2014, p. 36.
SEBRAE. Gestão Sustentável nas empresas. Cartilha. Cuiabá: Centro Sebrae de Sustentabilidade, 2012, p. 11.
________. Sustentabilidade.  <www.sustentabilidade.sebrae.com.br/portal/site/Sustentabilidade>Acesso em: 17 de março de 2013.
SOSMA. Florestas-futuro.Disponível em: <http://www.sosma.org.br/projeto/florestas-futuro/calculadora/> Acesso em: 17 de março de 2013.
Tacgizawa, T.; Andrade, R. O. B. de. Gestão Socioambiental: estratégias da nova era de sustentabilidade. Rio de Janeiro: Campus, 2008.
UFSM. Disponível em: <http://w3.ufsm.br/proplan/index.php?option=com_content&id=90&Itemid=198&limitstart=7> Acesso em: 17 de março de 2013.

¹ Setor de Recursos Humanos Departamento de Qualidade de Vida.
² Comitê Ambiental Lydians Mais Verde.
³ Coordenador de Produto e Comitê Ambiental Lydians Mais Verde

Copyright © ISMA-BR 2001
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.
ISMA-BR - International Stress Management Association no Brasil
CNPJ: 03.915.909/0001-68
Rua Padre Chagas, 185 conj. 1104
Moinhos de Vento
90570-080 Porto Alegre, RS
+55 51 3222-2441
stress@ismabrasil.com.br