Coping Ocupacional em Unidades de Terapia Intensiva: Associação Entre Variáveis Biossociais e do Trabalho

Rafaela Andolhe, Renata Guedes dos Santos, Oclaris Lopes Muhoz, Elaine Machado de Oliveira, Ricardo Luis Barbosa, Ana Lúcia Siqueira Costa, Katia Grillo Padilha

Introdução: O estresse é reconhecido como presente no trabalho da enfermagem desde a década de 60 (MENZIES, 1960), porém, o seu  enfrentamento (coping) ainda é visto e aplicado com dificuldades entre esses profissionais. Nesse sentido, este estudo objetivou analisar a associação entre características biossociais e do trabalho da equipe de enfermagem de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e coping. Método: Trata-se de investigação transversal, realizada em diferentes UTI, no mês de outubro de 2012. A obtenção das informações da equipe de enfermagem ocorreu pela utilização da Escala de Coping Ocupacional (ECO). No tratamento estatístico utilizaram-se: Teste Qui-quadrado para associação entre coping e variáveis biossociais e do trabalho da equipe de enfermagem para as variáveis qualitativas e Análise de Variância para as quantitativas. Marco conceitual: Coping é definido como um processo pelo qual a pessoa maneja os estímulos da relação indivíduo/ambiente que julga ser estressante (LAZARUS e FOLKMAN, 1984). É a resposta aos diferentes processos a fim de manter a integridade física e psíquica do organismo. Resultados: Participaram do estudo, 287 sujeitos, sendo 34,84% enfermeiros, 12,89% técnicos e 52,27%, auxiliares de enfermagem. Tratavam-se, de mulheres (83,97%), com companheiro (50,53%) e filhos (63,07%). A equipe de enfermagem utilizou, predominantemente, o coping controle (79,93%). Houve associação estatisticamente significante entre o fator de coping e categoria profissional (p=0,03), estado civil (p=0,04) e horário fixo de trabalho (p=0,02). Entre as variáveis quantitativas houve associação entre idade (p=0,01) e tempo de formado (p=0,02) e opção do coping controle. Conclusões: essa pesquisa avança pela elucidação de variáveis relacionadas ao trabalho e ao coping ocupacional e revela que os sujeitos estudados enfrentam positivamente o estresse no trabalho em UTI. Bibliografia: Lazarus RS, Folkman S. Stress, appraisal and coping. New York: Springer; 1984. Menzies IEP. Nurses under stress. Int Nurs Rev. 1960;7(6):9-16.

Copyright © ISMA-BR 2001
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.
ISMA-BR - International Stress Management Association no Brasil
CNPJ: 03.915.909/0001-68
Rua Padre Chagas, 185 conj. 1104
Moinhos de Vento
90570-080 Porto Alegre, RS
+55 51 3222-2441
stress@ismabrasil.com.br